Recentes

O Gambito da Rainha | Resenha

 
O Gambito da Rainha | Resenha

Artigo por: Zenite Abud 
Instagram: @resenhasdazenite

O Gambito da Rainha é uma minissérie incrível da Netflix que estreou recentemente. A história se passa nas décadas de 1950 e 1960. Fiquei impressionada com esta obra, que conta com 7 episódios cada e finalizada! É perfeita, e teve 100℅ de aprovação no Rotten Tomatoes. A série tem um nome um tanto estranho, mas quando começa a assistir, se entende o seu significado. É muito emocionante e envolvente!

A série conta a história de Beth Harmon, que aos 8 anos sofre um acidente de carro, onde sai milagrosamente sobrevivente, mas perde sua mãe. Então ela vai morar num orfanato no Kentucky (EUA). Pouco tempo depois que chega, ela observa o zelador (Sr. Shaibel) jogando xadrez sozinho, e ali ela fica fascinada com o tabuleiro. O Sr. Shaibel então, decide ensiná-la. Jogar xadrez exige agilidade mental, astúcia e muita inteligência. E Beth tinha tudo isso, e aprendeu rápido a jogar, por isso, se tornou uma menina prodígio em jogar xadrez.

A série aborda a trajetória de vida de Beth, dos 8 aos 22 anos de idade. E mostra efeitos visuais incríveis, com cenários e ambientes em Las Vegas, Paris e Moscou. E aborda temas como o machismo (pois naquela época a mulher era muito rebaixada pela sociedade). Beth tinha esse desafio em sua vida: ter que lidar com o orgulho masculino em plena Guerra Fria, pois achavam que uma mulher era incapaz de ser melhor em um esporte cuja lista de campeões eram liderados por homens (a maioria russos).

A série aborda também a adoção, e fala também sobre as consequências de nossas escolhas, que devemos ter muita sabedoria para tomar decisões. E que ás vezes é preciso deixar o passado para trás para poder seguir em frente, pois o sofrimento do passado não pode/deve definir nosso futuro. A série também fala sobre disciplina: Beth tinha um dom, mas ela sabia que para alcançar seus objetivos ela precisava se esforçar e se dedicar, pois o dom dela seria em vão se não tivesse sido bem direcionado.

E na vida real é assim, quando temos um sonho, precisamos nos dedicar para chegarmos a lugares inimagináveis. Dom sem disciplina não leva ao êxito!