Recentes

The Umbrella Academy | Crítica (2ª temporada)

The Umbrella Academy

ESTE ARTIGO NÃO CONTÉM SPOILERS

Publicado por: José Renato
 
Depois de um sucesso estrondoso em sua primeira temporada, a Netflix retorna finalmente com uma das séries mais divertidas do ano passado. The Umbrella Academy estreou sua segunda temporada nesta última sexta-feira (31/07), confira o que achamos.

continua após a publicidade


Já nos primeiros episódios a série estabelece o rumo de sua trama, o grupo de heroínas e heróis irão precisar salvar novamente o mundo do apocalipse. Claro que isso pode soar repetitivo, pois era o mesmo que precisavam fazer na temporada anterior, mas não se preocupe, apesar do ponto inicial ser bastante semelhante, a série soube muito bem trazer novas propostas, novos dilemas e incrementações ao que já sabíamos dos personagens.

Dentre os diversos pontos que deram certo na temporada passada, os roteiristas continuam a abordar os dramas familiares, adicionando novos detalhes em suas convivências, deixando assim os conflitos mais densos e realistas. O roteiro falha não explicando um detalhe ou outro, o que pode deixar de orelha em pé os telespectadores mais atentos, porém, tais pequenos deslizes passam longe de estragar a experiência que a série proporciona, trazendo quase sempre episódios dinâmicos e bem agradáveis de serem assistidos. É aquele tipo de produção que você pode maratonar tranquilamente sem enjoar nenhum um pouco.

Ainda na vibe de repetição de fórmula, a série está cheia de músicas pop's que acabam deixando muitas cenas ainda mais divertidas, no entanto, ao que me parece faltou um pouco mais de peso musical, fazendo dessa nova trilha sonora não tão marcante quanto a da primeira temporada. Claro que, música é algo de gosto extremamente pessoal, e por isso com certeza haverá muitas pessoas para amá-la também.

The Umbrella Academy

Dentre os personagens, Vanya (Ellen Page), perde aqui um pouco de seu protagonismo, porém ainda continua sendo peça chave da trama, já Klaus (Robert Sheehan) continua tirando ótimas risadas com seu comportamento peculiar, sendo ainda o principal alívio cômico. Fora do núcleo do grupo principal, Lila (Ritu Arya) é a única personagem adicional que tem certo carisma, algumas de suas cenas são engraçadas e sua trama (apesar de bastante clichê), é um belo atrativo, o que dá um ar de novidade a série. Além disso, a temporada também sabe abordar temas espinhosos, como o assassinato de John F. Kennedy, ex-presidente dos EUA, homossexualidade, brutalidade policial e a segregação racial da década de 60.

Infelizmente a série não acerta em tudo, e seu final, apesar de bom, passa longe de algo tão épico quanto o da primeira temporada. Aqui, todo o desenrolar do conflito final pareceu se solucionar de uma forma muito simples, e não há uma construção tão apurada para o clímax. Temos ainda os Suecos, antagonistas não tão bem aproveitados. Apesar disso, pode confiar que ainda sim vale muito a pena assistir.

The Umbrella Academy não está tão especial como antes, no entanto, ainda é uma série dinâmica, com ótimos efeitos visuais, bela trilha sonora, e que encontra um equilíbrio quase perfeito entre a seriedade de problemas sociais e momentos incrivelmente divertidos.

AVALIAÇÃO: 4.0