MiB (Pllano Geral)

Surfando na onda dos remakes, agora é vez de os Homens de Preto darem as caras por aqui, quer dizer, não só homens...

Primeiramente é quase impossível não sentir falta de Will Smith e Tommy Lee Jones, os dois formavam uma dupla maravilhosa, e assistir MiB sem eles, é quase como comer pão sem manteiga, você lembra a todo momento que tem algo faltando.

Felizmente, Tessa Thompson (Agente M), consegue ser carismática e dar um novo tom ao filme, a atriz rouba a cena facilmente, sendo ela o foco central do roteiro. Já Chris Hemsworth (Agente H), é o mesmo de sempre, o próprio é aquele tipo de ator que sua personalidade sobrepõe os personagens, não tendo nada mais a oferecer do que aquela velha cara que você já acostumado.

O filme esbarra em muitos clichês, como a cena de revisitar a “dívida” de um personagem do passado, porém o diretor F. Gary Gray, consegue fazer com que alguns desses clichês sejam fofos e por isso não vai te incomodar tanto.

A obra nos proporciona às vezes, algumas discussões sobre gênero, mostrando que as mulheres também têm seu espaço, no entanto, nem sempre a produção acerta, pois em um nível menor que Mulher Maravilha, fica sugerido que a Agente M “precisa” de um amor. A ideia de vida antes descrita pela moça regida pelos mistérios do universo, é jogada totalmente no lixo, ao apresentar um homem bonitão da qual ela necessita ter para ser feliz.  Bela mancada!

Ainda preciso comentar sobre o personagem “Peão”, que é obviamente o alívio cômico do filme. A pecinha consegue na maioria das vezes ser engraçada, sem em nenhuma vez apelar para uma comédia pastelona. A aventura melhora bastante quando ele aparece.  

Assim, MiB – Homens e mulheres de preto – não chega a ter o glamour de seus três irmãos anteriores, mas é o suficiente para você se divertir um pouquinho.

NOTA DO FILME: 6,1

E aí, já assistiu? Nos conta o que você achou. Ainda faltou algum monstro brincando com nossa galáxia no final.

0 Comentários