Hellboy (Pllano Geral)

Em mais uma aventura tinhosa, Hellboy chega para infernizar a vida dos serumaninhos – ou talvez não. 

Interpretado por David Harbour – o Sherife Hopper de Stranger Things – Hellboy está mais sério, mais bravo, e bem menos atrativo. É impossível evitar comparações com a versão de Guilherme Del Toro, e interpretado por Ron Perlman, que apesar de ter uma aparência mais plastificada, conseguia passar um pouco mais de carisma. Nessa nova versão me incomodaram os fatos do vermelhão ter um rabo totalmente de borracha e uma boca praticamente inflexível, fora isso, essa nova roupagem conseguiu ser um pouco mais demoníaca que a anterior.

Posso dizer ainda que a maquiagem e os efeitos especiais do filme estão maravilhosos, com criaturas únicas saídas de um mundo paralelo totalmente bizarro. Por sinal, aquela Baba Yaga é de cair os pelos.

Infelizmente, os elogios param por aí. Milla Jovovich dá uma aula de como ser clichê, são caras e bocas tão piegas, que as vezes você sente vontade de rir ao invés de sentir medo. Para piorar, o filme explora a já famigerada estória do Rei Arthur, que é mais ultrapassada que Fita VHS.

Em mais uma péssima decisão, a produção decidiu lançar a obra nos EUA em um curto espaço de tempo entre Shazam! e Vingadores: Ultimato, que prejudicou ainda mais a bilheteria, e fez o filme ficar pouquíssimo conhecido do grande público.

Além disso, o longa traz tanta informação, que você começa a ficar confuso já no segundo ato, parece um seriado de 4 temporadas compactado em um filme só. São tantas histórias aleatórias jogadas para cima e para baixo que o roteiro não consegue trabalhar de forma acertada nenhuma delas e tem um exagero exacerbado de ganchos do qual praticamente nenhum se encerra de forma aceitável.  

Ainda tentam deixar em aberto uma possível sequência para a obra, com várias cenas pós créditos, só que tal continuação possivelmente não irá acontecer devida a péssima recepção que o filme encontrou.

NOTA DO FILME: 5.5

Ótimo mesmo seria se o Del Toro voltasse em uma próxima adaptação. Sonho meu!

0 Comentários