Detetive Pikachu (Pllano Geral)

ESSE ARTIGO NÃO CONTÉM SPOILERS!

Já vou logo confessando que amo a franquia Pokémon, seja por seus diversos jogos - do qual joguei vários - ou pelo anime, aquele primeiro do Ash e companhia. Então, fazer uma crítica sobre algo que gosto tanto foi complicado, por que é difícil aceitar os “erros” que fui percebendo. Enfim, com isso mente, boa leitura!

Pokémon: Detetive Pikachu, do diretor Rob Letterman, veio para deliciar os fãs (assim como eu), com os diversos pokémons inseridos no “mundo real”. Admito a princípio ficar decepcionado com a falta de Ash, Brock, Misty e a Equipe Rocket, porém, o diretor argumentou em entrevista que a intenção era criar uma nova história, pois já existe muito conteúdo sobre esses personagens, o que me soou uma boa ideia. 

A computação gráfica fez um trabalho extraordinário. Tudo ficou bem realista, porém sem perder aquela essência cartunesca dos pokémons. Você consegue crer que aqueles bichos fofos, cheios de pelos, água ou até de fumaça, realmente estão em convívio com os seres humanos, está magnífico. Confesso que fiquei decepcionado apenas com a versão do Gengar, que ao meu ver ficou descaracterizado, no entanto todos os outros estão bem legais.

Referente ao roteiro, é quase tudo muito básico, a direção tentou implementar um “Plot Twist” ao final da trama, mas além de ser deveras óbvio demais - ao menos para a maioria das pessoas que conversei sobre o filme - ainda não tinha sido construído o suficiente para fazer sentido, e para piorar, a revelação ao final comprometeu minha experiência com o Pikachu. Também me incomodou bastante os textos expositivos, que apesar de serem compreensíveis - pois a intenção é explicar para o telespectador um pouco daquela realidade - foram falas em sua maioria desnecessárias, já que visualmente dava para entender praticamente tudo do que estava acontecendo. 

Tim (Justice Smith), também não foi nada além do básico, com uma interpretação bem mais ou menos, o rapaz até que convence em certos momentos, mas na maioria do tempo não apresenta carisma nenhum, o que dificultou para que eu pudesse me envolver ainda mais na trama, já que pouco me importei com o seu protagonismo. O que muda quando se fala de Lucy (Kathryn Newton), a moça parece estar mais envolvida com o filme, o que gera boas cenas quando ela aparece. 

Detetive Pikachu pouco sai do “fanservice”, o que não necessariamente seria um ponto negativo, já que a produtora sabe muito bem para quem direcionou a obra, porém, esse pouco, gerou todos aqueles textos expositivos que comentei anteriormente. No mais a obra é divertida, e com certeza você sairá do cinema com a sensação de satisfação. 

Nota do Filme: 6,8

Pokémons, temos que pegá-los! Isso já não sei...

0 Comentários