Vingadores (Pllano Geral)

Antes de mais nada, quero deixar claro que adorei os dois filmes, apesar de ter algumas críticas – aos dois – os filmes são um deleite para nós fãs desse universo maravilhoso que a Marvel criou. Então não esqueça, não estou dizendo que um ou outro é ruim. Vamos lá!

1 - Guerra Infinita é menos pastelona: Pois é, não é de hoje que crítico o excesso da Marvel em querer deixar o filme “engraçado”, é claro que muitas piadas estão bem encaixadas nas duas obras, no entanto, em Ultimato os diretores Joe Russo e Anthony Russo pecaram por excesso, com alguns momentos beirando ao ridículo. Não entenda errado, está tudo bem o filme ser engraçado em certos momentos, porém para conquistar boas risadas, é necessário saber o “timing”, que é dar um tempo entre essas piadas, para que os expectadores consigam digerir e poder rir da próxima novamente. Não conte uma segunda piada se a pessoa está rindo ainda da primeira.  

2 - Guerra Infinita vai direto ao ponto: Há muita cena desnecessária em Ultimato, o negócio fica tão complicado que ouvi relatos de pessoas dormindo no filme – claro, pessoas que não são tão fãs assim como você e eu. O primeiro ato ficou excessivamente longo, talvez os diretores quiseram passar a ideia que não tinha mais solução após Thanos destruir as joias do Infinito, no entanto, todos nós sabíamos que sim, que algo ia acontecer, então o tiro saiu pela culatra. É complicado trabalhar com as expectativas das pessoas, já que cada um tem a sua, porém, a expectativa é regida por tempo, se ficarmos tempo demais nesse estado e nada acontecer, quando o clímax chega, já não estamos mais tão empolgados assim. E não estou falando da cena que você pensou. 

3 - Os furos de roteiro: Claro que a maioria das obras sempre terá um ou outro furo em seu roteiro, aquela fala ou cena que não faz sentido nenhum estar por ali. É de certo ainda que Guerra Infinita tem também os seus furos, porém nada assim tão aparente como Ultimato. Temos que reconhecer a dificuldade de fechar um arco enorme como esse, só que isso não justifica aceitar tantas falhas. Posso citar furos como: Como Thanos levou seu exército para o “presente”? Por que o Capitão ficou no passado se eles deveriam alterar o mínimo dele? Por que Nebulosa não disse nada sobre o sacrifício de Vormir? Etc.. E se você pesquisar por aí, encontrará muito mais.

4 - Decadência de Thor: Esse ponto está conectado com o primeiro, mas ele é muito peculiar, teve gente que gostou, teve gente que não. Eu sou do time do Não hahah...  O que aconteceu, Thor se tornou extremamente forte com o Rompe-Tormentas, quase matando Thanos ao final de Guerra Infinita, dessa forma, trazer o personagem assim tão poderoso, não daria para fazer um arco final equilibrado, já que Thor acabaria com tudo muito rápido. Para resolver o problema, é necessário “nerfar” o herói, deixa-lo mais fraco para que trama possa se desenvolver. E como resolveram isso? Transformando Thor no alívio cômico, triste! Até dá para tirar uma discussão interessante sobre algum tipo de depressão do personagem, mas a Marvel deixa claro que não era isso que eles queriam. Thor passou de protagonista de um filme, para um quase coadjuvante no outro. Mjölnir tem uma participação bem mais legal, certo?

Então é isso pessoal, novamente saliento que gosto bastante dos dois filmes. E você, qual gosta mais? Um abraço.  

0 Comentários